Jesus veio do céu?

Jesus não era o Messias até que completou 30 anos, foi batizado por João e recebeu a aprovação de Deus. Messias foi a função que Jesus passou a desempenhar. É como o cargo (função) de prefeito, governador ou presidente. Ninguém nasce presidente, as pessoas se tornam presidente ao longo da vida. Jesus não era e não teria sido o Messias se, por exemplo, tivesse pecado. O fato é que Jesus foi preparado por Deus para tal função. A ideia de que um homem exercesse a função de Messias já estava na mente de Deus antes da fundação do mundo. Foi esta ideia que saiu de Deus e desceu do céu. Não foi uma pessoa, ou um Deus que se tornou homem.

Várias passagens de João parecem indicar um movimento literal de vinda e ida de Jesus do céu à terra. Somente leituras superficiais permitem tal entendimento. Uma análise mais detida do evangelho permitirá a percepção real do sentido destas passagens. Mas, não vamos nos ocupar de detalhes, apenas de uma visão geral.

Os três evangelhos sinóticos contam a história do homem Jesus, que nasceu, cresceu, aprendeu, cumpriu sua missão e morreu, tudo conforme as Escrituras. O Evangelho de João é por natureza diferente. Ele não narra a história linear da vida de Jesus. João se preocupa em provar que Jesus é o Messias prometido, que deveria ensinar todas as coisas (João 4:25). Para isso, sua narrativa aborda três aspectos importantes: 1) a palavra de Deus; 2) a pregação; e, 3) a crença. João faz isso através de uma série de histórias selecionadas com tal propósito. Estas histórias estão estruturadas de tal forma que sempre vemos nelas a Palavra de Deus (que desce do céu, o pão), a pregação (ensino) de Jesus e a crença do povo.  Por exemplo, na história de Nicodemos, ele cria que Jesus era o Filho de Deus e ouviu a mensagem do alto. A mulher samaritana sabia que o Messias iria ensinar todas as coisas e creu em Jesus. No caso da mulher adúltera, Jesus testemunhou que Ele era o Messias que havia vindo de cima e muita gente creu nEle. Vejamos mais!

Jesus é o Messias que pregou a palavra de Deus e as pessoas creram:

  • Dizendo ele estas coisas, muitos creram nele. (João 8:30)
  • E muitos mais creram nele, por causa da sua palavra. (João 4:41)
  • Porque lhes dei as palavras que tu me deste; […] e creram que me enviaste. (João17:8)

Toda a palavra que Jesus pregou veio do céu, de Deus. Mas Jesus precisou aprender tudo. As profecias já afirmavam que o Messias iria aprender:

  • O Senhor DEUS me deu uma língua erudita, para que eu saiba dizer a seu tempo uma boa palavra ao que está cansado. Ele desperta-me todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que ouça, como aqueles que aprendem.O Senhor DEUS me abriu os ouvidos, e eu não fui rebelde; não me retirei para trás.(Isaías 50:4,5)
  • Manteiga e mel comerá, quando ele souber rejeitar o mal e escolher o bem. (Isaías 7:15)

O mesmo Jesus disse que aprendeu de Deus:

  • Disse-lhes, pois, Jesus: Quando levantardes o Filho do homem, então conhecereis que EU SOU, e que nada faço por mim mesmo; mas isto falo como meu Pai me ensinou. (João 8:58)
  • Muito tenho que dizer e julgar de vós, mas aquele que me enviou é verdadeiro; e o que dele tenho ouvido, isso falo ao mundo.(João 8:26)
  • Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina conhecerá se ela é de Deus, ou se eu falo de mim mesmo. (João 7:17)

Jesus cresceu em conhecimento:

  • E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens. (Lucas 2:52)

Deus falou através de Jesus:

  • Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho,(Hebreus 1:1)
  • Esta é a mensagem que Deus enviou aos filhos de Israel, evangelizando-lhes a paz por meio de Jesus Cristo-este é o Senhor de todos. (Atos 10:36)

Deus falou através de Jesus, assim como Jesus falou através de Paulo:

  • Visto que buscais uma prova de Cristo que fala em mim, o qual não é fraco para convosco, antes é poderoso entre vós. (2 Coríntios 13:3)

João 1:1-3 fala sobre Verbo. Este Verbo é a palavra de salvação, nada mais do que isso. Foi o erro teológico-filosófico dos chamados Pais da Igreja que transformou o sentido deste texto. Porém, o texto continua dizendo a mesma coisa de sempre: que a palavra de Deus veio (foi pregada) aos homens, mas os homens não aceitaram. O texto não diz que Deus se encarnou. 

O Messias não é uma concepção humana, é celestial. Foi elaborada por Deus e transmitida aos profetas. Quando Jesus ensinava sobre o Messias (que por acaso era Ele mesmo) dizia com verdade que veio do céu. Jesus conhecia todas as profecias sobre o Messias e usou este conhecimento para orientar suas ações e ensinar o povo. Por ser um plano de Deus, Ele usava expressões como “desceu do céu”, “veio de cima”, “estava junto do Pai”, “saí de ti”, etc, mas estas se referem a ideia, o conceito, o plano, o pensamento, a promessa de Deus que estava em sua Palavra de fazer surgir o Messias na terra, conforme as profecias, e assim fazer surgir a salvação aos homens. Não se tratava dEle ter descido do céu em pessoa. Deus já fez muitas outras promessas que ainda vão se cumprir. Inclusive a promessa de seu reino. Esta promessa faz parte de seus planos e se encontra com Ele, em sua mente, desde antes da fundação do mundo. Este reino virá do céu, não em sua prática, mas em ideal. O Jesus em carne e osso veio de Maria. Ele nasceu, cresceu naturalmente como qualquer outro homem e quando chegou o tempo dEle começar seu ministério, se tornou o Messias, recebendo em si o plano de Deus. Missão que cumpriu com sua morte.

Não há porque duvidar que o Messias saiu de Deus ou veio do céu, mas isto no sentido concepção e aprovação:

  • Porque lhes dei as palavras que tu me deste; e eles as receberam, e têm verdadeiramente conhecido que saí de ti, e creram que me enviaste. (João17:8)

O Messias “saiu de Deus”, mas o texto nada afirma sobre a natureza substancial. Os teólogos acrescentaram o entendimento de que Ele saiu de Deus como sendo parte de sua substância, isto é, como se Jesus fosse uma “essência material” de Deus, uma parte de Deus. Nenhum texto bíblico comenta tal assunto. Os textos apenas falam no sentido de que Jesus, como Messias, foi enviado, ou seja, aprovado, autorizado por Deus.

O fato é que Jesus foi um homem que só se tornou o Messias depois que Deus o aprovou com obras e sinais. É neste sentido que Ele saiu de Deus. Nicodemos reconhecia que Ele veio de Deus por causa dos sinais:

  • Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.(João 3:2)    

Absolutamente, nada na expressão “saí de ti” indica alguma substancialidade divina em Jesus. E nenhuma das passagens que falam desceu do céu, veio de cima, onde estava, foi o enviado, saiu de Deus, junto de Deus, sou de cima se referem a Jesus como pessoa, mas ao Messias como uma promessa, ou ideia, vinda dos céus, isto é, de Deus.

O Verbo que encarnou é a palavra de salvação fluindo pela boca de Jesus, o Messias. Jesus foi o homem que incorporou o Messias. Neste evangelho, Jesus não é um Deus-Palavra que virou homem, mas o homem/Messias que ensinou a palavra de Deus. Não há idas ao céu, nem vindas à terra de Jesus. O que veio do céu foi a Palavra de Deus. Ela veio através da pregação de Jesus, não veio como Jesus. A Palavra de Deus veio para revelar o Messias. Em si, ela não é Jesus, ou o Messias, ela apenas continha a promessa de Deus de enviar o Messias.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Translate »