Jesus não era quem pensávamos

Este estudo apresenta algumas passagens sobre a verdadeira natureza de Jesus. Jesus é o Filho unigênito de Deus. Nascido da virgem Maria, ele sustenta um relacionamento especial com Deus...

Este estudo apresenta algumas passagens sobre a verdadeira natureza de Jesus.

Jesus é o Filho unigênito de Deus. Nascido da virgem Maria, ele sustenta um relacionamento especial com Deus e um relacionamento especial com o homem. Ele é filho de Deus e filho do homem. Tendo essa natureza única, Ele pode servir como mediador entre Deus e a humanidade. Ele é um “homem de dia entre nós”, que pode colocar a mão sobre nós dois “(Jó 9:33). Jesus está sem pecado. Na Sua pureza e perfeição, Ele é capaz de fazer o que nenhum outro indivíduo pode fazer. Ele sozinho é qualificado para ser a ponte entre Deus e o homem.

I. JESUS NO PLANO ETERNO DE DEUS

Jesus teve sua origem na mente e no plano de Deus. Sua vida e trabalho foram conhecidos e planejados por Deus desde o início dos tempos. “Conhecidos a Deus são todas as suas obras desde o princípio do mundo” (Atos 15:18). Concebido por Sua sabedoria, impulsionado por Seu amor e realizado através de Seu poder, o plano de salvação de Deus encontra seu centro na pessoa e obra de nosso Senhor Jesus Cristo. (Efésios 1: 9, 10; 3:11.)

Antes de Adão pecar ou foi criado mesmo, Deus sabia que a raça humana precisaria de um Salvador. O Cordeiro de Deus, portanto, “verdadeiramente foi predestinado antes da fundação do mundo” (1 Pedro 1:20). Seu sacrifício era tão certo e um fator tão importante no plano de salvação de Deus que Ele é descrito como “o Cordeiro morto desde a fundação do mundo” (Apocalipse 13: 8). Este é um exemplo do chamado de Deus “as coisas que não são como se fossem” (Romanos 4:17). Jesus não existe como pessoa até que ele nasceu em Belém. No entanto, ele existiu na mente e no plano de Deus desde a eternidade. Com este pensamento em mente, Jesus se referiu a “a glória que eu tinha contigo antes que o mundo fosse” (João 17: 5), e Ele disse: “Tu me amaste antes do fundamento do mundo” (João 17:24) .

Os benefícios evangélicos tornados possíveis pelo sacrifício de Cristo foram conhecidos por Deus desde o início e foram incluídos em Seu plano de salvação. A esperança da vida eterna foi prometida “antes do início do mundo” (Tito 1: 2); O Reino foi preparado “desde a fundação do mundo” (Mateus 25:34); E a graça salvadora foi dada em Cristo “antes do início do mundo” (2 Timóteo 1: 9).

Jesus Cristo é o ponto focal de todas as obras divinas. Tudo o que Deus tem feito em relação ao homem e a Terra foi realizada com Cristo em mente. Todas as coisas foram criadas “para ele” (Colossenses 1:16). Deus designou o Seu Filho como herdeiro de todas as coisas e, através dele, preparou as eras. (Deus 1: 2). Quando Deus criou o nosso planeta, Ele sabia que algum dia o seu Filho nasceria aqui, dê a si mesmo como sacrifício do homem, ressuscite-se dos mortos, suba ao céu e mais tarde retorna para dominar todas as nações. A intenção de Deus é que os pecadores redimidos sejam “conformados à imagem de seu Filho, para que ele seja o primogênito entre muitos irmãos” (Romanos 8:29). Ele planeja que o Filho dele fique no topo das suas obras “que em todas as coisas ele possa ter a preeminência” (Col. 1:18). Ele é “o princípio, o primogênito dos mortos” (Colossenses 1:18), “primogênito de toda criatura” (Colossenses 1:15) e “o início da criação de Deus” (Apocalipse 3: 14). Muitos homens viveram antes de Jesus ter nascido, mas Ele é superior a todos. Como o último Adão, Jesus é superior ao primeiro homem Adão. (1 Cor. 15:45, 46.) Embora mais jovem em idade, Jesus é superior a João Batista. (João 1:15, 30.) Embora Abraão tenha sido pai do fiel e fundador da nação, Israel, Jesus é superior a qualquer posição que Abraão jamais tenha ocupado. (João 8:58.) “Ele é antes de tudo” (Colossenses 1:17); Nenhum homem é maior do que ele.

II. A HUMANIDADE DE CRISTO

Jesus é o Filho do Homem. Ele possui a verdadeira humanidade. Durante seu ministério terrenal, Ele era como todos os outros homens, exceto que Ele morava sem pecado e manteve um relacionamento sobrenatural e único com Deus. Através de Sua relação vital com a humanidade, Jesus se identificou com os problemas, tristezas e sofrimentos da raça humana. (Hb. 2: 14-18.)

Embora Jesus tenha uma concepção milagrosa, Ele teve um nascimento humano. (Gálatas 4: 4, Lucas 2: 7, Gênesis 3:15, Isaías 7:14, Mateus 1: 1, Romanos 1: 3). Ele tinha uma mãe terrena, mas não um pai terrenal. Através de Sua mãe, Sua ascendência é atribuída a Adão. (Lucas 3: 23-38.) Através dela, Ele é o filho de Abraão e o filho de Davi. Sendo o descendente de Abraão, veio cumprir a aliança de Deus com Abraão. Sendo a semente de Davi, Ele veio cumprir a aliança de Deus com Davi.

Jesus teve um desenvolvimento humano normal. “E o menino cresceu e cresceu em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele” (Lucas 2:40). “E Jesus aumentou em sabedoria e estatura, e em favor de Deus e do homem” (Lucas 2:52).

Jesus tinha a aparência física de um homem. Ele tinha um corpo real. (Mt 26:12; João 2:21; Heb. 10:10; João 1:14; Col. 1:22; Heb. 2:14 – 17.) Ele foi feito à semelhança dos homens. (Romanos 8: 3; 2: 7). Antes de Sua ressurreição à imortalidade, Ele era mortal e estava sujeito às incômodas enfermidades da natureza mortal do homem. Ele ficou com fome (Mateus 4: 2; 21:18), sede (João 19:28), cansado (João 4: 6). Ele foi tentado (Mateus 4: 1, Heb 2.18; 4:15); Ele chorou (João 11:35); Ele dormiu (Mateus 8:24); Ele sofreu (Heb. 2: 9, 18, Isaías 53: 3,4); Ele morreu (John 19:30, 33). Quando Jesus morreu, o sopro da vida deixou Seu corpo e retornou a Deus que o deu. Ele foi enterrado e permaneceu inconsciente na sepultura até Sua ressurreição. Após a Sua ressurreição, Ele mostrou aos discípulos que Ele tinha um corpo material real, literal e imortal. (Lucas 24: 39-43.)

Nosso Senhor foi repetidamente chamado de homem no Novo Testamento. (João 1:30; 8:40; Atos 2:22; 13:38; Romanos 5:15; 1 Coríntios 15:21, 47; Fil 2: 8). Como mediador, ele é “o homem Cristo Jesus “(1 Timóteo 2: 5). Ele voltará à terra como homem (Mateus 16:27, 28; 25: 3, 26:64), e como um homem julgará o mundo em justiça (Atos 17:31).

A importância da humanidade de Cristo pode ser vista na medida em que ele é capaz de revelar o caráter de Deus para a humanidade, para representar o homem como o Segundo Adão, para ser o parente-redentor do homem, para ser um “sumo sacerdote misericordioso e fiel”, para ser o exemplo E padrão para o Seu povo, ser chefe da nova criação e sentar-se no trono de Davi.

III. O RELACIONAMENTO DIVINO DE CRISTO

Jesus é o Filho unigênito de Deus. (João 1:14, 18; 3:16, 18; 1 João 4: 9). Ele tem um relacionamento único com Deus. Esse relacionamento é aquele que nenhum outro homem experimentou. A vida de Cristo entre os homens foi uma revelação do caráter de Deus. Ele refletia a santidade, o amor e a verdade de Deus; Ele mostrou o que é Deus. (João 1:18; 14: 9.) Cristo é uma expressão do ideal de Deus para a humanidade. Ele é a Palavra viva, a encarnação da Idéia divina. Sua vida imaculada revelou a pecaminosidade do homem. O caráter de Jesus é o padrão moral para a humanidade.

1. O Filho de Deus . A Bíblia claramente ensina que Jesus é o Filho de Deus. Nosso Salvador se referiu a Deus como Seu Pai e a Si mesmo como o Filho de Deus. Entre as muitas testemunhas que declararam que Jesus é o Filho de Deus, são: Deus (Mateus 3:17; 17: 5); Jesus próprio (João 9: 35-37; 10:36); Gabriel, o arcanjo (Lucas 1:32, 35); João Batista (João 1:34); Nathanael (João 1:49); Os discípulos (Mt 14:33); Pedro (Mateus 16:16); Marta (João 11:27); O centurião (Mateus 27:54); João (João 20:31; 1 João 4:15); E Paulo (Atos 9:20; Romanos 1: 4; 2 Coríntios 1:19).

2. Importância de Sua Divina Filiação . A filiação divina de Cristo dá valor infinito à Sua morte sacrificial. Este fato explica a capacidade de Cristo de ser um Substituto para muitos pecadores. Um dólar de prata é menor em noventa e nove moedas de um centavo, mas é de maior valor. Jesus é apenas uma pessoa, mas Sua morte é de maior valor do que a morte de um número infinito de pecadores. Como o Filho de Deus, Jesus pode ser o porta-voz autoritário de Deus e revelar a vontade divina para a humanidade; Ele tem autoridade para perdoar pecados, julgar a humanidade, ressuscitar os mortos e dar vida eterna. Sua filiação divina dá-lhe direito de ser herdeiro de todas as coisas; Dá-lhe o direito de soberania sobre as nações. O relacionamento divino único do Senhor permite que Ele sirva como Mediador e Sumo Sacerdote do pecador.

Como o Filho de Deus, nosso Senhor é digno da confiança, obediência, adoração e louvor do homem. “Portanto, Deus também o exaltou, e deu-lhe um nome que está acima de todo nome; que, no nome de Jesus, todo joelho se incline, das coisas nos céus, e as coisas na terra e as coisas debaixo da terra, e que cada A língua deve confessar que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai “(Filipenses 2: 9-11).

(Adaptado da Teologia Sistemática, de Alva Huffer, publicado pela Conferência Geral da Igreja de Deus, Oregon, Illinois 61061, EUA)

© Conferência Geral da Igreja de Deus. Esta lição pode ser reproduzida sem alterações para fins não comerciais sem autorização prévia.

Categorias
CristologiaDivindade
SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO:

*

*

RELACIONADOS

  • O Alfa e o Ômega

    Por: Al Franco A afirmação feita pela tradição teológica cristã é de que o livro de Apocalipse mostra, não o Senhor Deus como o Alfa e o Ômega, mas...
  • Imagem extraída do site Canção Nova

    Maria mãe de Deus? Ou Jesus tem uma linhagem humana?

    Um estudo criterioso sobre a geneaologia de Jesus para não deixar dúvida sobre sua linhagem humana e sobre se de fato Maria era virgem. Será que temos novas informações...
  • Jesus veio do céu?

    Jesus não era o Messias até que completou 30 anos, foi batizado por João e recebeu a aprovação de Deus. Messias foi a função que Jesus passou a desempenhar....
  • A origem de Jesus

    Um dos assuntos mais polêmicos do Cristianismo: A origem de Jesus é humana ou celestial? Leia o texto e responda a intrigante pergunta sobre Levi e Jesus. Se levia...
Translate »