É Satanás um demônio?

Qual é a visão judaica de Satanás? Ele era um anjo caído?

Na Cabala era um dos Sete Anjos que estavam diante do Trono de D’us eles são representações dos Poderes Divinos. Tais poderes cósmicos podem ser polarizados tanto positiva quanto negativamente dentro do ser humano. A Polaridade negativa da energia cósmica é simbolizada em Samael, cuja consorte é Lilith.

Nas tradições judaicas ele é identificado como o Anjo da Morte, o chefe do quinto céu e também um dos sete regentes do mundo material e tem em seu comando por bilhões de anjos.

Na crença cristã, Satanás é um anjo caído que tem liberdade de escolha e se rebela contra D’us. Os cristãos usam convenientemente “Satanás, para explicar qualquer comportamento mau ou irracional (como não acreditar em Yeshu como messias ou deus). O chamado Novo Testamento é um terreno fértil para essa perspectiva. É somente aqui que Satanás se torna um anjo do mal e rebelde, quando provavelmente o personagem chamado Satanás evoluiu para um anjo maligno e inimigo de D’us, baseado no dualismo teológico persa, onde essa idéia está presente.

Na visão judaica, ele (Satanás) está claramente subordinado a D’us, um membro de Sua corte celestial (Heb. Beni ha-elokim), que não pode agir sem a sua permissão. Em nenhum lugar é, de qualquer forma, um rival de D’us. Os cristãos da Enciclopédia Judaica dizem que foi Satanás quem criou o mal, isso é completamente fraudulento, de acordo com nosso Tanach: “Eu (D’us) formo a luz e crio as trevas”, (Isaías 45: 7). Deus cria todas as coisas, não apenas as boas. Não há um único versículo em todo o Tanach que diga que Satanás criou o mal ou desobedeceu uma ordem de D’us. No Tanach, Satanás é um servo obediente de D’us que cumpre o papel de acusador do homem na corte de D’us.

D’us criou a tentação de fazer o mal em parte para provar nossa lealdade e em parte para nos melhorar. É por isso que a palavra (Satanás) em hebraico significa literalmente um adversário (Números 22:22) que vem nos desafiar. Encontramos essa noção em todo o Livro de Jó, onde D’us dá a Satanás permissão para desafiar o justo Jó. De fato, uma das expressões mais dramáticas e poderosas da luta do homem com D’us e sua consciência envolve Jó e Satanás. D’us havia dado a Satanás permissão para afligir Jó com todo tipo de dificuldades e infortúnios. Por sua vez, Jó perde sua família e seus bens e é afetado por furúnculos e doenças. Sentados em agonia, seus colegas íntimos comentam: “Sua misericórdia é sua bobagem”. Até sua esposa o incomoda e diz: “Você ainda mantém sua integridade? Amaldiçoe a Deus e morra”. Mas Jó lhes diz: “Você fala como alguém que é desprezível. Devemos aceitar apenas o bem de Deus e também não aceitar o mal?” (Jó 2: 9-10)

Pergunta: que espírito atormentava o Rei Saul?

Resposta: É uma figura de linguagem para descrever o “yetzer hara” inclinação para o mal que cada ser humano tem quanto mais se afasta de D’us. Acontece com as pessoas, ou mesmo já aconteceu com você, de encontrar alguém que esta cheio de ira e raiva, praticamente descontrolado. De repente, chega alguém que começa a conversar com ela, trocando boas ideias e a natureza das coisas melhoram aos poucos, a raiva, o ódio e o descontrole passam.

Isto aconteceu com Shaul e pode acontecer comigo com você. Pois o bem (yetzer hatov) e o mal (yetzer hara) são dois caminhos colocados de propósito por D’us dentro de nós para que entendamos e aceitemos que precisamos nos esforçar e não nos acomodar a uma vida estabilizada em nossos próprios pensamentos e sentimentos, mas nos dedicar a uma vida de aperfeiçoamento.

Leia o texto completo AQUI e entenda melhor a visão judaica sobre Satanás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »